Fundo branco

A IMPORTÂNCIA
DO PROJETO

Afinal, qual a finalidade de um projeto? Neste subtítulo, descubram a função e os critérios de projeto para a Arquitetura, assim como os desenhos técnicos necessários para cada área.

A Importância do Projeto

 

AFINAL, QUAL A FINALIDADE DE UM PROJETO?

Primeiramente, saiba que criamos projetos na nossa vida quase que diariamente: quando queremos viajar, nos casar, ter um corpo físico saudável, nos graduarmos.

O projeto nada mais é que o produto final concebido após traçarmos o objetivo final, a situação atual e as ações que devemos tomar para atingirmos o que desejamos.

O projeto em Arquitetura consiste em um "Manual de Como Executar". É um compilado de informações, metas e desenhos técnicos definidos pelo (s) projetista (s) após a observação e análise de determinados critérios. Todos esses critérios são minuciosamente estudados na fase de projeto para que a solução final seja a melhor possível quanto aos aspectos construtivos, técnicos, econômicos ambientais, culturais, psicológicos, sociais e políticos. Uma obra ou o protótipo de um objeto somente é iniciado após inúmeras considerações informativas e técnicas que fizeram parte para sua concepção.

Alguns critérios a serem considerados abrangem as características geográficas da localização, topográficas do lote, recursos naturais, acessos e vias; infraestrutura urbana (rede elétrica, água potável, esgoto tratado, internet); as exigências, necessidades e características biopsicossociais e culturais dos usuários; o conforto ambiental (ventilação, insolação, iluminação, acústica e ergonomia); técnicas construtivas; tipos de materiais de construção e acabamento; estética, forma e plasticidade; instalações prediais; o tempo para entrega do projeto e da obra; a mão-de-obra qualificada disponível; e o capital disponível para investimento.

O produto final (projeto) apresentado ao cliente/usuário é a melhor solução encontrada para atingir o objetivo desejado.

 

O projeto é um investimento!

OS CRITÉRIOS DE PROJETO

​Sabemos que para atender da melhor forma possível aos aspectos construtivos, técnicos, econômicos ambientais, culturais, psicológicos, sociais e políticos é necessário respeitar determinados critérios que foram divididos aqui em 2 (duas) etapas principais:

  1. Análise do objetivo do projeto

  2. Concepção do projeto

A "análise do objetivo do projeto" foi dividido aqui em 3 (três) critérios e a "concepção do projeto" em 18 (dezoito).

ANÁLISE DO OBJETIVO DO PROJETO

Primeiramente deve-se saber o objetivo projeto em questão quanto ao tipo de uso (residencial, comercial, industrial, institucional, lazer etc), dimensão (pequena, média ou grande) e o público-alvo/usuário (características e quantidade, pois há diferenças em quem utiliza/rá uma casa, um apartamento, um mercado, um aeroporto etc). As interferências (impactos) que o objeto referido exerce/exercerá ao redor e vice versa é distinta e pode ser impactante no meio ambiente, na mobilidade urbana, na vizinhança etc.

Em seguida é analisar as legislações (arquitetônicas, urbanísticas, ambientais, do Código Civil etc) vigentes para saber se aquele tipo de uso, dimensão e público-alvo é permitido na localização de interferência e se sim, como fazê-lo legalmente.

Obs.: o fato do terreno e/ou imóvel ser do proprietário não lhe dá o direito de utilizá-lo de qualquer maneira. O inciso XXIII do Art. 5º da Constituição Federal de 1988 estabelece condições ao direito de propriedade alegando que a mesma (urbana ou rural) deve cumprir sua função social. O não cumprimento é inconstitucional e há penalidades determinadas em leis.

Finalizando essa primeira etapa, deve-se também ter uma percepção preliminar de como o projeto será concebido, o tempo de execução da obra, o capital disponível etc.

Após a etapa inicial (Análise do Objetivo de Projeto) é observado e analisado os seguintes critérios que contemplam de fato o compilado de informações técnicas e soluções para atingir o objetivo.

CONCEPÇÃO DO PROJETO

  • Localização do objeto em questão (terreno, imóvel, ambiente ou mobiliário), suas características físicas (idade, topografia, geologia), a existência de fauna e flora, recursos hídricos, ventilação natural e insolação e de infraestrutura urbana (rede de água e esgoto, rede elétrica e de dados, rede de gás natural);

  • Determinantes ao redor do objeto (vias, edificações, características ambientais ou socioeconômicas) que influenciam na localização/implantação do terreno, edificação, imóvel ou mobiliário;

  • Vias de acesso (localização, classificação e tipo de superfície);

  • Mobilidade urbana;

  • Exigências e necessidades dos usuários;

  • Aspectos psicossociais, culturais, demográficos, políticos e econômicos;

  • Estética e plasticidade da forma;

  • Conforto ambiental (insolação, ventilação natural e forçada, iluminação natural e forçada, acústica e ergonomia);

  • Técnicas construtivas;

  • Sistemas estruturais;

  • Instalações prediais;

  • Materiais de construção;

  • Revestimentos e acabamentos;

  • Tempo para entrega do projeto;

  • Mão-de-obra;

  • Logística para a execução da obra;

  • Tempo para a entrega da obra

  • Capital disponível para investimento.

​​

OS DESENHOS TÉCNICOS

O que compõe um projeto em arquitetura?

COMPÕEM O PROJETO DE ARQUITETURA DE EDIFICAÇÕES

  • Planta de Implantação

  • Planta de Locação

  • Planta Baixa do (s) Pavimento (s)

  • Planta de Cobertura

  • Corte Transversal

  • Corte Longitudinal

  • Elevações Externas

  • Quadro de Memorial Descritivo

  • Quadro de Índices Urbanísticos

  • Quadro de Áreas

  • Quadro de Esquadrias

  • Quadro de Notas e Observações Gerais

  • Quadro de Notas e Observações Específicas

COMPÕEM O PROJETO DE ARQUITETURA DE INTERIORES

  • Planta Baixa de Levantamento Arquitetônico (caso a edificação / ambiente já exista)

  • Planta de Reforma

  • Planta Baixa Construtiva

  • Planta Baixa com Ambientação / Disposição dos Mobiliários

  • Planta de Pontos Hidrossanitários

  • Planta de Pontos Elétricos, de Internet e de Dados

  • Planta de Mapeamento de Condicionadores de Ar

  • Planta de Automação

  • Planta de Iluminação

  • Planta de Forro de Teto

  • Planta de Paginação de Piso

  • Elevações internas

  • Planta de Marcenaria

  • Quadros e afins


COMPÕEM O PROJETO DE ARQUITETURA PAISAGÍSTICA

  • Planta Topográfica

  • Planta de Edificações e Vias (ruas, avenidas) existentes

  • Planta Botânica

  • Planta de Paginação de Piso

  • Planta de Iluminação

  • Planta de Mobiliário Urbano

  • Planta de Pontos Elétricos, de Dados, de Internet, de Telefonia e de TV

  • Planta de Pontos Hidrossanitários, de Drenagem e de Irrigação

O projeto paisagístico divide-se em:

  • Plano de Massas (proposta de ocupação da área com a localização e dimensão estimada para os diferentes usos, as interligações necessárias e a volumetria da vegetação em sua fase adulta);

  • Projeto (delimitação dos pisos e definição das espécies vegetais, equipamentos de lazer, mobiliário urbano, pontos de água e de luz);

  • Memorial Descritivo (descrição da forma de ocupação do terreno, suas relações com o meio no qual está inserido, explicando as razões e critérios que levaram à adoção das soluções.

COMPÕEM O PROJETO DE URBANISMO

  • Relatório de Vistoria do Terreno

  • Planta de Localização do Terreno no Município

  • Memorial do Partido Urbanístico

  • Projeto de Topográfico

  • Projeto de Sistema Viário

  • Projeto de Sistema de Água Potável

  • Projeto de Sistema de Saneamento

  • Projeto de Rede Elétrica

  • Projeto de Rede de Iluminação

  • Projeto de Gás Combustível

  • Projeto de Telefonia

  • Projeto de Zoneamento e Parcelamento do Solo

  • Projeto de Edificações Existentes e a Construir

  • Projeto de Arquitetura de Edificações

  • Projeto de Arquitetura Paisagística

O projeto urbanístico divide-se em:

  • Programa de Projeto: trata-se da sistematização das necessidades funcionais e sociais que caracterizam um tema de projeto. Neste manual, o programa refere-se aos projetos de arquitetura e urbanismo;

  • Projetos de Urbanização: Urbanismo, Terraplenagem, Paisagismo, Drenagem, Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário, Eletricidade e Telefonia;

  • Projetos de Edificação: Arquitetura, Estrutura e Fundações, Instalações Hidrossanitárias, Elétrica, Gás Combustível e Telefonia.

 

 

O PROJETO LEGAL

No que consiste o Projeto Legal?


Determinados projetos (como construção e regularização de edificações) necessitam serem aprovados pelo órgão fiscalizador responsável (geralmente pela prefeitura municipal). Tais órgãos avaliam, através do material gráfico contendo os desenhos técnicos, tabelas, memorial descritivo e outros, se o conteúdo proposto produzido até esta fase, atende aos requisitos legais e às normas técnicas de apresentação e representação gráfica emanadas pelos órgãos públicos e deverá incorporar as exigências e as limitações oriundas das normas legais específicas relativas à segurança da edificação, as taxas de ocupação do solo, coeficientes de aproveitamento, recuos e etc., além do Corpo de Bombeiros e concessionários de serviços públicos (Energia Elétrica / Gás / água e Esgoto) com a finalidade de obter a aprovação dos órgãos competentes.

Esta etapa é de extrema importância pois representa a concordância do projeto elaborado pelo (a) arquiteto (a) e urbanista com às normas e leis de âmbito municipal. Assim que o projeto é protocolado para sua aprovação na Prefeitura Municipal (a Secretaria Municipal responsável geralmente é a de Obras, ou Desenvolvimento Urbano), uma equipe de profissionais competentes avalia certos itens e se tudo estiver de acordo, o projeto é aprovado e pode ser executado.

O Projeto Legal corresponde apenas ao Projeto Arquitetônico (Arquitetura de Edificações), pois este é considerado o projeto-base (é a partir dele que são elaborados os demais projetos. Todos os outros projetos são chamados de "projetos complementares".

Os principais projetos complementares dividem-se em:

  • Projeto Estrutural

  • Projeto Hidrossanitário (hidráulico e esgoto sanitário)

  • Projeto Elétrico

  • Projeto de Telefonia, Rede e Dados

  • Projeto de Automação

  • Projeto de Luminotécnica

  • Projeto Topográfico

  • Projeto de Arquitetura de Interiores

  • Projeto de Arquitetura Paisagística

  • Projeto de Condicionamento e Conforto Acústico

  • Projeto de Condicionamento, Exaustação e Ventilação Forçada de Ar

  • Projeto de Prevenção e Combate a Incêndios

  • Projeto de Circulação Vertical (elevadores)

  • Projeto de Circulação Horizontal (esteiras rolantes)

  • Projeto de Sinalização​

[FONTES: CAU | ABNT]